Como construir um canil

CONSTRUINDO UM CANIL MODELO

Quando se vai construir qualquer coisa, devemos começar sempre fazendo uma relação dos itens a serem incorporados ao projeto.

Partindo da premissa etológica (estudo do comportamento animal) buscamos, dentro do possível, proporcionar ao cão uma vida o mais próxima possível da vida natural que ele teria em seu habitat. O cão, como descendente direto do lobo, é um animal toqueiro, vive em tocas, assim, o canil ideal seria um buraco no qual somente ele caberia dentro. Como o cão é “domesticado”, ou seja, obrigado a conviver em ambiente doméstico, ele terá que ser manejado de acordo com a nossa conveniência, uma vez que seremos nós os responsáveis pela manutenção da limpeza e do trato desse animal.

1. Área mínima necessária para abrigar um cão ou um casal

Como já vimos os cães não necessitam de muito espaço para se abrigarem. Quanto menor, isto é, mais próximo do tamanho dele, tanto mais feliz ele será. É por isso que as “casinhas de cachorro” fazem tanto sucesso entre os caninos. Entretanto, como nós precisamos entrar, a altura mínima da porta deverá ser de dois metros. Quando comecei, fiz um canil com uma porta de 80 cm de altura achando que para o cão seria o ideal… e era. Mas depois de dois meses batendo com a cabeça para entrar e para sair, resolvi aumentar a altura da porta.

O segundo problema que surgiu foi o da área mínima necessária para que os cães ficassem um pouco mais à vontade, mesmo em dia de chuva. Assim nasceu a tabelinha:

Para cães de grande porte – (dogue alemão) – um quarto de 2 m x 2 m, ou seja, 4 m2. Um dogue alemão deitado ocupa uma área que mede 1,50 m x 1,50 m e terá uma folga de 50 cm para poder se mexer e se revirar na sua cama.

Para cães de médio porte – (boxer) – um quarto de 1,5 m x 1,5 m, ou seja, 2,25 m2. Um boxer ocupa 1 m x 1 m e terá uma folga de 50 cm, mais 0,50 cm na largura para a passagem de um humano de um cômodo para o outro.

Para cães de pequeno porte – (poodle toy) – quarto de 1 m x 1 m, ou seja, 1 m2. Um poodle toy ocupa 0,50 m x 0,50 m e terá 50 cm para poder se mexer e mais 0,50 cm na largura. No caso de ser um casal, pode-se colocar um beliche conforme planta baixa e corte, mas a área ocupada necessária seria a mesma.

2. Cômodos necessários:

1. Área coberta (abrigo) é exatamente a área comentada no item anterior, de acordo com o porte do animal.

2. Área de solário: para cães de grande porte – (dogue alemão) mantendo a mesma largura do solário e para que o cão possa ensaiar uma pequena corrida de dois ou três passos o comprimento deverá ser de seis metros.

Para cães de médio porte – (boxer) deverá ser de três metros.

para cães de pequeno porte – (poodle toy) dois metros.

3. Cozinha e dependências – Deverá ser projetada uma cozinha para os cães para que eventualmente se possa cozinhar, nas horas de folga, alguma coisa variada para que o cão não perca o gosto pela ração a qual está habituado. O paladar dos cães é semelhante ao nosso. O cão é descendente de carnívoro, mas é onívoro, come de tudo, e gosta de variar o paladar como nós. A cozinha deverá ser grande o suficiente para ter uma mesa que se possam colocar as cumbucas espalhadas e facilitar a distribuição da alimentação. O ideal é ter um carrinho para transportar todas as cumbucas de uma só vez.

4. Passeador – uma área cercada, cimentada, áspera, de fácil limpeza onde o cão possa permanecer tomando sol por um tempo relativamente longo: 2 horas. Essa área deve ser no mínimo de 50 m2 – 10 m x 5 m. para um casal de cães de médio porte.

3. O sol como o mais importante medicamento para a saúde e prevenção de doenças – a posição para melhor incidência de sol – a utilização da radiação solar como esterilizador ambiental.

Todos nós sabemos da importância do sol para a saúde dos nossos queridos cães. O melhor período é o da manhã, entre as 7 e as 10 h. O que poucas pessoas sabem é que o canil deverá estar voltado de frente para a direção de onde nasce o sol no inverno de maneira que, nesse horário, o sol possa penetrar até no quarto. O sol tem um poder fantástico de eliminar eventuais bactérias das fezes, além de favorecer a osteogênese (ossificação) pela indução à produção, pelo organismo, das vitaminas A+D3.

4. Móveis e utensílios

A cama deverá ser construída com madeira especial dura, que não se estrague facilmente com as constantes mordidas dos cães… A madeira que mais se adéqua à confecção da cama de cães é o IPÊ. Tenho camas de ipê com 18 anos de uso… suportando além das roídas dos cães, constantes lavagens com cloro e máquina de lava-jato.

O sistema hidráulico é semelhante ao de um condomínio, conduzindo água potável a todos os boxes com a tubulação embutida. É aconselhável a instalação de um bebedouro automático, muito usado em suinocultura, de forma que o cão tenha sempre água fresca.

De qualquer jeito, automáticos ou não, os bebedouros deverão estar fixados num dos cantos, próximos ao dormitório, sob o teto, mas do lado de fora, para que, se ele brincar com água, não molhe seu ambiente de dormir e, se tentar destruir, o bebedouro estará fixo.

O sistema sanitário deverá ser o mais prático possível, para facilitar a limpeza e não onerar os custos operacionais.

Como poderão observar na planta baixa e no corte longitudinal, ao lavar o canil com uma mangueira de pressão, todos os dejetos são “varridos” para fora do canil através de uma fresta de 6 cm sob o pré-moldado à frente da calçada e que se estende ao longo de toda a largura do solário. A vala que fica sob a grelha (Planta Baixa) corre ao longo de todos os canis obedecendo a uma inclinação de 10% e transporta as fezes e a urina para a fossa séptica.

5. Proteção térmica contra o frio e o calor – Ventilação

As paredes deverão ser confeccionadas com tijolos de barro, chapiscadas e revestidas com uma massa de cimento-e-areia ou azulejos, para evitar que os cães, ao arranharem as paredes, façam buracos. Os tijolos mantêm um colchão de ar entre as suas superfícies, conservando a temperatura ideal. O teto deve ser de laje com um telhado confeccionado com o madeirame e as telhas amarradas, formando também um colchão de ar entre a telha e a laje, impedindo, dessa forma que tanto o calor do sol quanto o frio da chuva atinjam o ambiente no qual o cão está acomodado.

Um canil jamais deverá ser separado do outro por grade ou tela. Tecnicamente é uma incoerência permitir que dois cães separados por uma parede se vejam e impliquem um com o outro. Quando soltos, fatalmente irão brigar, além de latirem um para o outro em tempo integral, impedindo que descansem, façam suas digestões e se recuperem emocionalmente.

No meu canil temos silêncio total na maior parte do dia e da noite com mais de 70 cães hospedados. Só latem quando é servido o almoço e o jantar.

6. Manejo (limpeza – produtos e freqüência, etc.).

A limpeza do canil deve ser feita apenas com água abundante.

A desinfecção é feita com cloro, retirando todos os animais até que seja abundantemente lavado e o cheiro tenha se desvanecido. A freqüência dessa desinfecção dependerá da população total do canil. Um canil de criação com somente um casal de cães poderá proceder a essa desinfecção uma vez por mês. Com mais de vinte exemplares aconselhamos a desinfecção semanal.

Carrapatos e pulgas – O controle de parasitos deverá ser rigoroso. Evite o uso de organofosforados (defensivos agrícolas em desuso). O mais correto, embora mais caro, é aplicar nos cães produtos que os protejam temporariamente das pulgas e carrapatos, e eliminá-los das paredes do canil, com água fervente (máquinas de produzir vapor a 140º).

7. Conjunto administrativo:

Escritório de gerenciamento do canil é importante que você faça um controle histórico dos cães e, principalmente, o controle das despesas. O cachorreiro é muito chegado a uma despesa desnecessária, principalmente com vitaminas e anabolizantes.

Despensa prepare um lugar seco e fresco para guardar os sacos de ração, destinados ao consumo dos cães. Tenha também um freezer para poder fazer um estoque de ossos para os cães roerem. Ossos grandes como o de canela, rótula e ossos de peito bovino. Jamais ossos de frango!

Sala de banho tosa e cuidados veterinários, seu canil deverá ter uma sala para tratar dos cães: escovar todos os dias, dar banhos, eventualmente tosar um animal que necessite. Um lugar onde seu veterinário possa examinar seus cães. Nosso canil tem uma sala de Banho & Tosa e um ambulatório para o veterinário responsável poder trabalhar com bastante conforto.

Maternidade, se você vai fazer criação, deverá pensar num ambiente isolado e de fácil limpeza para servir de maternidade. Com maternidade quero dizer um ambiente isento de influências externas, onde a cadela parirá seus filhotes e cuidará deles até o desmame. A gestante, parturiente ou lactente necessita da sensação de segurança e inviolabilidade do seu ninho.
Sala de isolamento ou quarentena com acesso exclusivo pela sala de cuidados veterinários. Quando um dos seus fica doente, você vai necessitar preservar os outros animais, então precisará de um local seguro para mantê-lo sob observação durante o tratamento.
8. Piscina – É um opcional importantíssimo. A maioria dos cães que não convive com a água, nadando, pulando dentro, etc., quando atinge a adolescência fica com medo da água. Isso poderá acarretar sua morte por falta de experiência, caso ele caia involuntariamente numa piscina. Além disso, a natação é um dos exercícios mais completos para qualquer raça.

Bruno Tausz – Etólogo
http://www.brunotausz.com.br
Presidente do Conselho de Cinologia da CBKC
Árbitro Allrounder da CBKC
Árbitro de Adestramento da CBKC

Related Posts with Thumbnails

4 comentários para “Como construir um canil”

  1. bryan disse:

    quarter@pedantic.orthodontic” rel=”nofollow”>.…

  2. Billy disse:

    fete@fauna.virginity” rel=”nofollow”>.…

  3. Rex disse:

    tommy@etter.sufficiency” rel=”nofollow”>.…

    good info!!…

  4. wayne disse:

    flannagans@completes.believeth” rel=”nofollow”>.…

Deixe um comentário